Bolsista da Associação dos Pintores com a boca e os pés
contato@roseorth.com.br  
 

Notícias

STF Sem Barreiras:
Segundo dia da exposição apresenta o talento da artista que pinta com a boca

O segundo dia da I Mostra de Artes do STF Sem Barreiras – Programa Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no STF teve a participação da artista plástica Rose Orth. A convidada produziu uma tela durante esta tarde e conversou com o público, curioso para saber um pouco sobre seu trabalho e sua história.

Paranaense de Toledo, Rose teve poliomielite quando tinha 1 ano e quatro meses de vida, e a doença a deixou com sequelas nos braços e nas pernas. O interesse pela pintura surgiu aos 7 anos, ao contemplar diariamente o nascer do sol quando o pai ia trabalhar. “Eu observava as tonalidades, as formas... tudo aquilo me encantava”, lembra. Autodidata, ela começou a desenvolver a arte por conta própria, e mais tarde fez o primeiro curso com um professor particular.

A artista vive em Brasília há 13 anos, devido ao tratamento de saúde no Hospital Sarah Kubitschek. A vinda para a cidade foi a oportunidade de conquistar independência, e hoje ela mora sozinha. “Percebi que tinha que aprender a viver conforme minhas limitações”, conta.

Assim como o artista Clênio Ventura, que pintou uma tela na tarde de ontem no primeiro dia deste evento, Rose ingressou na Associação dos Pintores com a Boca e com os Pés (APBP), que reúne artistas de vários países. Isso aconteceu há nove anos e desde então a participação na instituição tem sido um estímulo para a dedicação à pintura. “Além de ser uma forma de reconhecimento, há também o apoio, o resgate do ser humano”, diz a artista, que pinta com a boca e escreve com os pés.

Da mesma forma que aconteceu nessa terça-feira (23), o público que passava pelo hall do restaurante parava por alguns instantes para admirar o trabalho da artista. “Gostei da iniciativa do Supremo, pois estes artistas merecem mais visibilidade. É muito interessante conhecer de perto como os artistas que possuem deficiência produzem os trabalhos”, comentou Raphael Guimarães, do Núcleo de Programação Visual. Já a servidora Cintia da Silva Gonçalves, da Coordenadoria de Sessões da Primeira Turma, aproveitou para conhecer a pintora e parabenizá-la pelo trabalho. “Minha filha também gosta de pintar e eu admiro muito quem tem esse dom”, afirmou.

As obras de Rose variam entre R$ 90 e R$ 700. Quem quiser conhecer um pouco mais da artista pode acessar o site www.roseorth.com.br.

Amanhã é o último dia da mostra, que trará ao tribunal mais três artistas: o escultor Flávio Luís, que produzirá uma obra ao vivo, e os artistas Marta Guedes (ceramista) e César Achkar (escultor), que têm trabalhos expostos e vão acompanhar o evento.


O programa

O STF Sem Barreiras – Programa Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no STF realiza ações que visam valorizar as pessoas com deficiência e proporcionar maior acessibilidade aos profissionais e visitantes com deficiência da Casa. O programa tem realizado ações de melhorias para pessoas com deficiência no tribunal e prevê, ainda, medidas como a instalação de piso tátil, telefones para deficientes auditivos e faixas antiderrapantes.

 

contato@roseorth.com.br